Monday, May 23, 2011

Só por hoje




E o mundo é redondo
este é o melhor sinal
a leitura mais humana
paupável
cheia de meridianos e latitudes
Onde ninguém inventou esse jogo
são as órbita e esferas
são os frutos
do big bão
que vive no coração
de cada um!

Os quadrados
falam de apocalípses
fazem guerras
caem em revoluções armadas
são incompetentes
não percebem
que a terra é redonda
o mar é azul
e nossa mãe
estava pura
e o que tinha a ensinar
é o equilibrío
se ser
o ser
com tudo


O nada existe
para os que descobrem
a paz
O nada permanece
na consciência
de quem percebe
O todo
só por hoje
Me compreenda
Zen

Thursday, May 19, 2011

Musa minha pequena

A poesia por vezes desce ao fundo da terra e se guarda onde se esconde as águas
Ali está pura, está fresca, e comunga com o silêncio e a escuridão
Quando chega novamente o seu momento, simplesmente se junta a corrente
e em direçao a superfície encontra a luz e o seu ribeirão.

Menina dos olhos que brilham
que sorri milhões de estrelas
não posso fugir da simplicidade
por que brilho e estrelas são tua verdade
como o mar tua presença
como a lua a tua dança

A água jorra do veio
inspiração é a própria luz que liberta
a tal Alma Inquieta
No peito de intenso desejo
agora se completa e o Coração que Compreende
faz silêncio e me contenta
recebo nos olhos o que transpassa a janela
Esse dia chuvoso me traz ternura
Não importa mais tanto
a realidade escandináva nua e crua

A musa desperta o poeta
envolvida em lençóis de uma distância concreta
onde o espaço não importa
onde o tempo não existe
O verdadeiro amor não sente nenhuma culpa
nem da idade, nem da fantasia
em verdadeiramente amar
tudo se realiza

Teus olhinhos brilhantes
mesmo que numa fotografia
enriqueceram meu dia
trouxeram alegria a todos mundos
e ao meu universo
bom é saber que você existe em algum lugar
e poder para ti fazer poesia.
Fico aqui a voar o meu dragäo...

Fica bem meu bem!



video

Tuesday, March 8, 2011

Mister Klaus


Mr. Klaus

Mr. Klaus meu best friend
Mister Klaus num tem problema
não tem dilema
seguro está em seus fonemas
Claro que falo assim com relatividade
Lembro sempre
de todas nossas idades
Em Brasília, em Sacramento
Deus! Yesterday man na Califonia
Cantando Lulu Santos
Como uma onda no mar
com bossa em Ipanema
Meu irmão de Big Field
Sustentando um inteira jaqueira
Cheia de Matildes dando no pé!

A vida não passa derepente
E sim Intensamente
Sem parar
como uma onda no mar
Garota ainda volto a Califórnia
Ou vou de gondola a veneza
Amigos de prontidão
para encontrar
pois andar com fé
não vou deixar de estar

São milhões de fotografias
Sempre a revelar.

Friday, January 7, 2011

Antes de dormir...um insigth sonolento


As coisas mais incríveis
são exatamente aquelas da fé que desejamos
e assim elas acontecem
e aí falamos é incrível!
Agora é simplesmente realidade.
Obrigado todo o acaso deste Uni-Verso.

Thursday, January 6, 2011

Num Barquinho

Por que aqui vai um passo a mais na jornada onde as estrelas estao brilhando dentro dos nossos corações.
Nesse veleiro com velas coloridas dos bons ventos
do cestame, das correntes, dos velhos marinheiros

Aqui as coisas acontecem agora
quem sabe as direções dos ventos
sabe se preparar para remar
sabe ancorar em portos nas estações das tormentas
l

Wednesday, January 5, 2011

Homenagem pirata!

Hoje quero esculpir uma homenagem aos piratas
piratas não escrevem atas
são piratas
piratas
irados
com tantas tonteirias
dos egos
piratas não sãos rebeldes
são autenticos
muito gente
para todos! gente!
gente é arma
contra a confusão de não ser...
hoje escrevo para esta bandeira de caveira e ossos
por que na verdade não tememos mortos nem morrer
assustar os outros é insosso... a gente quer é verdade
não aquela julgada...
mas a clara exercida...
Vida é tão intensa, que não pode se roubar
nem mesmo amotinar...
Não existe oportunismo....
Não para nós!
Fazemos nos entender
com atitudes
pouco importa se nobre
ou conquistada
é o que é
o oceano é vasto!
E os valores são um só!
Pela festa!
pela alegria!
PELO SOL!
Temporal é um dia de velocidade em nossas velas...
Haja milhões de portos...
Não saqueamos a dignidade de ninguém.
somos dignos com nossas vontades de ser pela beleza de existir e estar desinbestado!

Um poeta pirata!!!


Osmar Dias

Thursday, December 16, 2010

Noite em Roterdão (Conto)


Andando pelas ruas do cais em tua companhia mulher degenerada
conheci minha solidão corrompida de isolamento e fuga,
eu tão intelectual e autosuficiente me vi na lente das vitrines holandesas
como um artigo em desuso... carente, pobre...
Todo o brilho de minha armadura enverdeceu...
Olho em tua face, e mesmo sabendo que este vento úmido e gelado te corta os poros
sinto os jorros quente de sangue de tuas bochechas... Embora com extrema compaixão
não estás pronta para debochar de minha momentânea fragilidade.
Ganhamos a alameda em direção a catedral... tu caminhas agora escorada ao meu lado, como um rebocador me levando devagarinho ao meu destino... A noite me fez pesado, mas os primeiros glances de luz do dia me fazem sentir como senhor da hora... não tenho nenhum compromisso neste dia, a não ser descobrir como é a sua vida deste lado de cá da vitrine... Como muitas vezes ontem na fumaça do bordel, hoje não vais fugir de minha mira, nem sequer por um instante, mesmo obrando ou se fazendo em jatos... Eu estarei rasgando as rendas de sedas da minha miserável solidão apostólica. Duas vielas antes da avenida que leva a catedral me empurras para um beco, desejo que me mates, pois prescinto que se chegarmos ao nosso destino, na tua simplicidade de prostituta, me despojara de toda minha vaidade... quero que a minha embriagues excitada retorne, quero ser violento... mas seu semblante corajoso me olha docemente e me deseja, sei que tudo que te move é interesse de me acompanhar em minha viagem, e não sei de onde tirarei forças... para escapar do teu reino que estou prestes a penetrar...

Beco escuro, além de uma vaga de carga e descarga vejo três portas ao lado de quatro containers de materiais recicláveis, duas delas são certamente fundos de lojas, e a terceira, através do vidro com barras de ferro se mostram as escadas. Sinto nas pernas a extensão da noite, voce sorri nos meus olhos, e comprime meus lábios com os dentes, o trinco da porta estala seu click, e sinto o bafo da calefação fugindo do interior do prédio. Subimos três lances de escadas sem encontrar nemuma porta, até chegarmos no último andar diante de uma muita larga e entalhada, madeira clara como de sándalo, toda em detalhes indus, uma linda mandala no centro, com diferentes deuse a sua volta. Posso reconhecer Shiva e Ganesha, e pelas indumentárias penso que os outros não são deuses muito comuns... Percebo que a porta está só encostada... Um ruído lá dentro revela que não estamos sózinhos, me escapa uma expressão de desapontamento, mas Lucille me diz que é apenas seu gato, e comenta, que esta peça talhada nunca é fechada . Agora consigo pronunciar em minha mente frases construídas no meu parco holandes, embora seja ela apenas uma prostituta quero continuar impressionando ... Está deflagrado um jogo de conquista, e os nosso papéis socias foram exonerados, na verdade começo a termer que todos meus princípios foram vendidos, e que essa devassa mulher agora é que remunera os meus serviços, não sei se me compra com sua juventude, ou com a precisão de seus comentários sobre a minha pessoa e meus comportamentos... Ela empurra a porta que se abre com um ranger afinado e rítmico.

Friday, November 26, 2010

Mário Quintana pro dia não passar em Branco.


Canção do dia de sempre

Tão bom viver dia a dia...
A vida assim, jamais cansa...

Viver tão só de momentos
Como estas nuvens no céu...

E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência... esperança...

E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.

Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.

Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!

E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas...

Mario Quintana

PRESENÇA

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento
das horas ponha um frêmito em teus cabelos...
É preciso que a tua ausência trescale
sutilmente, no ar, a trevo machucado,
as folhas de alecrim desde há muito guardadas
não se sabe por quem nalgum móvel antigo...
Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir
como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...
Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato...
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te.

Mario Quintana

Tuesday, November 23, 2010

Visita a Rotterdam








Visita em Roterdão

Sempre soube que poesia é um desporto da Alma

Destes que exigem disciplina para manter músculos cardíacos ativos

Poesia que não se presta ao cotidiano, não comove o ser comum

Quando o comum é também enusitado o complexo talvez também compreenda.

Acordei já com saudade de ontem

Da visita curta que lhe fiz

Da brevidade e intensidade do nosso encontro

Onde podemos nos conhecer mais

Onde nossas Almas transpiraram Amizade

Violas, vinhos, cigarros

Livros, discos e fotografias

Piadas , sorrisos , comentários

Jantares e pequenos almoços

Novas receitas, novas músicas

È verdade, nunca fui tão bem tratado

Como descobrir novos amigos pode ser tão intenso

Um casal sensacional no andar topo

Agora me lembro dos telhados e chaminés

Do horizonte por trás das altas torres

Das cadeiras de tomar sol e dos cinzeiros fomegantes

É verdade... gostaria de vê-los longe dos cigarros consumidores

Sei que fazem a vida intensa, mas também fazem a saúde esvair-se

E uma tosse intensa é vazia de prazer e ocupa pensamentos

Mas deixei para outro dia este incentivo, esta mesa de negociações

Amigo tão divertido e tão sério

Amiga extremamente suave

Mais uma vez totalmente obrigado

Devido a diferença tão pequena de idade

Não posso imaginar que me trataram com um filho

Mas me trataram tão bem que foi assim que me senti

Gostei muito de estar na Rotterdam urbana

Na área central e cosmopolita

Gostei de ver tuas meninas

De sentar em cafés aquecidos por resistências elétricas

E estou curtindo buscar a poesia de tudo isso

Dos canais esverdeados por algas aveludadas

Donde decolam patos e aves marinhas

Das ruas dos antigos cais e suas prostitutas

Do gigante menir de Picasso na esquina

Encontros que promovem o encontro

Onde o ócio revela sua riqueza e legitimidade

Onde a humanidade oferece partilha e admiração

Meus amigos, mais uma vez obrigado

São vocês cicerones espetaculares

Que fazem um viajante como eu se sentir milionário

Estrelas, para mim são estrelas, vocês são estrelas

Já que a poesia vira carta

Não posso deixar de revelar

O quanto inspirador foi ver o escritor

E me lembrar que publicar é dar caminho as palavras

Nenhum escritor se contém, sempre estão a pensar em seus livros

Mas publicar é dar caminho é criar mundos em outras mentes

Como podemos resistir as vezes tão longamente

Temos que contar nossas histórias em outras pernas

Em personagens que podem ganhar sua própria estrada

Que as boas bênçãos de Rotterdão estejam com voces

Saudades... um pequeno poeta agora lembrando Andrade.



http://www.youtube.com/watch?v=IxgfKepUbjg

Wednesday, February 24, 2010

Ciberespaço


A internet é como um mundo espiritual dos que estão vivos

O espiritual artificial, o éter cibernético

De tudo esta se falando, todos os cantos se expressando

Todos fazendo todos os atos nesse ciberespaço

Comunicar-se em massa há muito não e mais privilégio dos que tem fama

Ou dos que são poderosos na midia

Eh uma coisa que o individuo com pode almejar

É a voz de todos os guetos de todas as facções

São todos os cenários da vida organizada e da vida caótica

O velho, o bicho, o deus, o ser , o buscador , o homem em todos esses papéis

Na rede em rede

Sentado em sua escrivaniha está diante do mundo

Os espaco onde todos nos tão fisicos também somos virtuais

Como navegar num cosmo

Como navergar num plasma

Com navegar na Alma dos seres

Tudo lá, no zero e zero

Todo os dias eu me satisfaço com a minha existência

Por que eu vibro por uma existência de se exercer como ser livre

Que vislumbra onde estão as otimizações das relações

Eu vivo assim, com satisfação

Eu encontro assim o que busco

Eu estou sempre aprendendo

E desde que aprendi isto

Estou sofrendo a dor e o prazer

De compreender o meu mundo

Eu estou lá num nível mais profundo

Eu estou lá numa esfera mais elevada

Como de uma outra dimensão

Eu estou lá também

Me assistindo

Como um que busca a si mesmo

Que muitas vezes se desconhece

Que se conflita

Que se absolve

Que se exerce

Que chora

Que se sente tao pequeno

Que se sente no todo

Ser ser

E estar apto

Para fechar os olhos

E apenas meditar

Sobre o que é ser

Wednesday, January 20, 2010

O silêncio é quebrado
pela longevidade do silêncio
O silêncio fala mais alto do que tudo.



Tuesday, December 29, 2009

Isso é mágico!
Mas o que é mágico?
é o que sinto...
se quer posso explicar
mas sei que voce tambem sente
quando para de pensar
pensamento exime palavras
Magia,,, é tanta coisa ser dita no silencio

Sunday, December 27, 2009

Muito tempo e nada
nada e é muito tempo
não esquecer
o veio do turbilhao



A despeito de toda de sons de nossos uténsilios
é o som da ventania que me impressiona

Friday, November 27, 2009

Viagem no graozinho

Um graozinho de areia
portando infinitos pensamentos
Flores de cores nunca vistas
Enfeitando meu jardim
Um lugar para viver
Essencia punctual

Vivo no meu mundo
Como se esse mundo não fosse meu
Estou me tornando esse mundo
a cada instante
E o meu mundo o tempo
esta passando a ser esse mundo
Todos querem estar
em seus lugares
Assim não há a dor

Quem me tornei?!
Ave?! Asas? Ser
voador viajante
campones
cozinheiro
esquiador
Poeta, quem sou eu?


A melhor parte da historia vem agora
Essa viagem de barco entre continentes
Que importa o que se passa entre nós
quando nos agrada espiar um ao outro
Ruiva cumprida mirrada


Será possível realmente criar uma ficc,ão
tudo já é real por mais que parec,a impalpável
que opresssão que dá pensar nesse mundão Por vezes

Na normalidade, os dias parecem um igual ao outro e eles correm
o tempo parece cada vez querer passar mais rápido

Estou tranquilo e não sei porque?!
mas estou tranquilo com todas as razões de viver aterrorizado
Brazil o filme, não era ficc,ão

Com a facilidade da inteligencia
desaprendemos o amor humanitário
é horrível pensar que somos o cancer do planeta
sob a visão de quem acredita mais em soluc,ão do que
na insolvic,ão dos mesmos. Se quer acredito que são problemas
pois poderiam deixar de existir justamente agora.
Não acredito na palavra distante como a utopia
è simples ver
Alimento é relac,ao de trabalho de intercambio de cultura
as posssibilidades da boa vivencia entre grupos
é puro combustível combustivo para tornar cada uma das mentes sobre a terra
Um furac,o de produtividade. è uma outra dimensão de humanidade
A possibilidade do nós em relac,ões de coerencia
com a nossa capacidade de amar
é imensurável, indescritível,


A humanidade pode ser um Jardim
e não uma lata de lixo
Podemos ser uma estac,ão social
e sermos cidades aneladas de natureza
com alimentos locais e seres de almas alimentadas
de boas relacoes, e despertas com um sistema relacional
onde as cadeias são geradoras de ondas amorosas
Esse tisuname é algo tão poderoso
que parece que o pobre homen não tem coragem de ver


O verdadeiro poder do homem é assustador para os homens das armas
por que tornaria as armas infrutiferas e os mercados nulos
PODER/familia Consumo/estado producao/bancos
O estado consumindo o sonho
A familia corrompendo o poder
Os bancos produzindo frutos inconsumíveis
A estonteante reviravolta dos iludidos neoronios

Monday, June 15, 2009

Wednesday, October 29, 2008

Estocolmo, on the way to Bahia


Quando entrei nos jardin interno do albergue
dancava o grupo africano
imprecionante que a execussao da musica
era tambem a propria danca
o canto era como a fala da alma
imediatamente entrei em transe
passei a dancar e me comunicar com todos
com tudo, com meus olhos, com meu corpo
com um corpo que nao posso mais dizer que seja um corpo fisico
algum corpo eterico, emocional, algo que vai da alma humana direto na alma humana

Quando me convidaram para integrar a ala especial dos artistas
na tive nenhuma duvida, transferi todos meus pertences para la
e me tornei um deles,
e cantei e dancei, e toquei minha viola e entreguei-me em expressao
e comecei a contar todos meus sonhos, visoes, anceios...

ate que derepente e de chofre me invadiu o medo
entrei em sono profundo e tive pesadelos reveladores sobre a fragilidade que envolve
os que se sentem amados e desejam amar

me senti abusado,
me roubaram todos os pertences
minha viola desapareceu me fazendo revirar
os aposentos alheios
me impugnaram culpas
me condenaram
quizeram me aliciar
sabotaram minha auto confianca
me envolveram em tramoias
fui perseguido, procurado apedrejado
me espancaram.

por um momento foi tudo
em outro momento nada
fui herois e fui covarde

No final do pesadelo
eu estava armado
com uma arma de fogo
disposto a matar
perdido de mim mesmo
sentindo me seguro
apenas com aquela esquecida arma
que vive na fantasia daqueles
que se encontram encharcados do medo

Entao a conspiracao se esclarece
e do perdao que vem de dentro para fora
explode uma onda amorosa
toda a permissividade perversa
se retrata como verdadeiro carinho
o toque ausente do medo se torna prazeiroso
bonito, lindo
ganho presentes
uma guitarra de sonido estonteante
vou reconhecendo aos poucos todos os atores de uma realidade
que soh se revela em sonhos
mesmo quando eles se trajam como pesadelos
Acordo na madrugada e nao consigo dormir
A mente quer entender
O que com muita clareza transita no oceano da inconciencia
eh possivel lutar sim
A corrente do rio me arrastou naquela grande boia de pneumatico de caminhao
e na curva do rio retornei as margens
o medo de perder-se se torna uma brincadeira
por que agora em mim mora a certeza
que essa jornada em si eh o trabalho
que ja nos torna rico
antes mesmo de aferir qualquer salario
e ASSIM NESTE PRIMEIRO DIA DE FE'RIAS
acabei acordando muito cedo
e fazendo aquilo que deveria fazer com muita freguencia
anotar sonhos



Estocolmo, on the way to Bahia!

Tenho dito!

OD http://www.marcorios.se/index.php?lang=sve

Monday, September 22, 2008

Poesintonizamento



A poesia é uma porta
para o presente
essa inspirac,ão
expirac,ão
profunda
é mergulho no que se sente
sentir é encontrar a poesia que há
no agora
respiro fundo mais uma vez


faz silêncio


uma música interior
fazendo a trilha sonora


Poesia se torna uma vertente jorrante forte como a cachoeira após as chuvas
E fala tão alto
Que seu rugido cala o poeta
E encanta a voz cantante da alma


O TAO Olhar


Que no "si" tudo vê
está presente.


Existe uma fé
No que podemos fazer juntos
A poesia volta ao mundo das palavras
As que contam a jornada do encontrar
Do criar o novo como um reluzente exemplo
De Vida pela Vida, com o amor que ela exige, diante de tudo
Que a mente humana pode criar
Acaba-se o Jogo do Poder, e o homem simples
encontra o outro homem simples
E simplismentes estão integrados
Cessando a incoerência
do esquecer
que esta na mão de nós mesmos
O sintonizamento
Do trabalho transpessoal
e planetário




Então a poesia entra em seu cruzeiro interestelar
e vai voar de asa delta
descer penhascos de rapel
surfar corredeiras de água branca
Soltar pipas deltas e papagaios
enquanto as ondas quebram nos recifes


OD Hoje, dá cidade do povo.

http://www.youtube.com/watch?v=j2IP8NN6wQk

Monday, September 15, 2008

Despertador poético



Direto ao assunto
é urgente quebrar a pausa
empreender a pauta
matar de pauladas
essa abulia


Não pare mais no meio do parágrafo
não deixe em frangalhos tuas frases


morra de amores pelos horrores de tuas dores
mas não as guarde só para ti
de vida a tantos personagens que em ti pulsam
deixe o ridículo se revelar em gargalhadas soluçantes
Desconheça a ti mesmo retirando o manto do recato
Mande recados, faça intrigas, ria da tua gente
misture queixos caídos
bocas abertas
e dedos apontados

Encha o saco desse saco de gatos
mesmo que ninguém entenda nada
e fique com esse riso amarelo estampado no canto do riso
Pare de achar que passou a vida relevando fotografias de si
Quantos de nós não relevamos você
e não venha por palavras na minha boca
pois agora sou eu que estou as colocando na tua
Não, não há nenhuma arrogância
meu tom não é apenas imperativo
só que estou sedendo
de ver a verdade afiada
que estás cançado de esconder
tu não é o lôbo nem a pele do cordeiro

OD (Hoje , Cidade do povo)




http://br.youtube.com/watch?v=7Nlj-A_UY4E

Thursday, September 11, 2008

Quando me sinto feliz como agora


A satisfacao não tem nome

nem palavras

todas as silabas que perfilam-se

nao dizem nada

satisfac,ã

inaudível

intra duzivel

e imensamente

desejada

de se compartilhar


Ao mesmo tempo

rola uma compreensao mútua

e a gente comec,a fazer coisas juntas

que são multipicadoras dessa satisfac,ão



ALEGRIA ALEGRIA



Caetano Veloso e Beach Boys de Argentina






Tuesday, September 9, 2008

De volta ao presente


Resolvi retomar o meu Blogg poético...
Parei porque as últimas provas me consumiam
Na seguência foi os dois trabalhos de verão que arrumei
que sorveram meu tempo... mas não a minha inspiracão
Na verdade eu vivo em estado de poesia



As vezes me admiro que fac,o tudo que um sujeito normal faz mesmo andando por aí neste estado.
Por que penso que é mais séria minha poesia
que os notíciarios da TV?!!!
Em suma seja eu um sujeito egocêntrigo ou não
eu retorno a "bloggesfera"!
Com uma Homenagem!
Publico aqui, um dos poemas de um livro,
Que levei mais de quarenta anos para comec,ar a entendê-lo
O Madeirame, que é um livro de um Pai Poeta
Essa será uma mistura alquímica de dois poemas
para que se quebre a dormênica da semente
fac,o essa: inter/fusão
De um "TAO Rei Francisco" e "FALARES DE COLINA"
Por fim, publico a "CONDENAC,ÃO"
E passo a esperar que meu pai me perdoe, por publicar suas coisas
sem pedir autorizac,ão...
Que nada... Quem sabe eu o encontre no SKIPE
Ou lhe de uma ligada...



FALARES DE COLINA

A tarde de verão

Atribuiu-se necessária no semiacontecer

Na cidade grande,
Sem mêdo de (o) nada,
Absorvi-me aclarado e completo
Como raro se propõem os homens.
A luz ab´arrotava o espac,o da cidade
Transpassando horário de verão. Operava-se
Mutativamente o borborinho da volta,
Armac,ao do ato
A final.

O bar amarelinho abrigou-me
Racio-resoluto

E só. (O chopp impotente hesitava. Tudo estritamente)
Inegávelmente privilegiara a tarde
E eu sorvia aos goles

Aquela certeza inexplicada
Livre,
Fartando arruminância de invejar.
(Os pés honestos absorfriam um cansac,o realiza´dor)
Acordado de entenderes
Passados

Exultava a superior´idade

Produtiva eu sabia
Falares de colina
Linguajar de vencedor

(Madeirame - M. Alves Dias - Rio de Janeiro - 1966)




Falares de colina TAO Rei Francisco


Sou um reiÚnico dominador de mim. Sem mêdo de (o) nada,
Absorvi-me aclarado e completo
Como raro se propõem os homens.
Sou um rei felizPois não tenho súditos.Sou um rei libertoDe palácios e muralhas.
Aquela certeza inexplicada
Livre,
Fartando arruminância de invejar.
(Os pés honestos absorfriam um cansac,o realiza´dor)
Tenho o mundo inteiro aos meus pésSó preciso andar.Subir a montanhaÉ conquistar horizontes,Se enriquecer do tesouro do silêncio.Viver este reino sem tamanhoSentar num penhasco, invocar um amigo(O vento)E ao som da música do vento,Apenas orar.Sou um rei sem tempo.Tenho apenas o sol do diaE o percurso silente das estrelas.A nada devo pressa.
Acordado de entenderes
Passados
Exultava a superior´idade
Produtiva eu sabia


Delicio-me com as frutas de todas as estaçõesE, se quero dormir protegido,Durmo entre plantas e animais. Falares de colina Linguajar de vencedor .


CONDENAC,ÃO


sou poeta de vontade
e ofício
poeto
de pl(e)ano acôrdo
assim foi
e será
redigo coisa dita
trivial vidinha eterna
fato consumi(a)do pelos epocais
de tôdas
assim foi
e será
desdidos paiadão
(fora os satelitais)
0 suceder é mabac,o:
....................................
...............................edi/
cétera e a irresponsável
mulher
assim foi
e será
(êsse doce m(e)al
tão bem desejamado
cabelos épicos
/burramente schopenhauerseanos/
dia muito
escorrendo sujos
em mecha
de sobrepeito)
assim foi
e será
o desejo de cônscio poemar
(per) segue (me)
até míssil final
assim foi
e será
e eu de tanto querer
canto semelhanc,as valorizadas
assim foi
e será
condenei-me neste o(di)fício fá-
cil porquanto
semvirgens meolham retinamente
e
impossível
-no minuto pupilar-
absorver todo o sensório
assim foi
e será
esta é minha cruz;
o madeirame há de seguirme em ombros
até
o anteapagar
de mim
assim foi
e será
(Madeirame - M. Alves Dias - Rio de Janeiro - 1966)



Grande beijo meu Pai!


Tico Asas 2008

Monday, April 14, 2008

TAO Rei Francisco


monte verde
Originally uploaded by Fernando Stankuns


TAO  Rei  Francisco 

Sou um rei
Único dominador de mim.
Sou um rei feliz
Pois não tenho súditos.

Sou um rei liberto
De palácios e muralhas.

Tenho o mundo inteiro aos meus pés
Só preciso andar.

Subir a montanha
É conquistar horizontes,
Se enriquecer do tesouro do silêncio.
Viver este reino sem tamanho
Sentar num penhasco, invocar um amigo(O vento)
E ao som da música do vento,
Apenas orar.

Sou um rei sem tempo.
Tenho apenas o sol do dia
E o percurso silente das estrelas.
A nada devo pressa.
Delicio-me com as frutas de todas as estações
E, se quero dormir protegido,
Durmo entre plantas e animais.  

OD

http://www.youtube.com/watch?v=XMoWFpnFJQM




Sunday, April 13, 2008

João Platônico


the beautiful woman of the yellow bus
Originally uploaded by free-secret-life

Maria, já fiz poesia para muitas mulheres dessa cidade
E embora todas parec,am meninas
Voce é a mais menina delas
Seus olhos parecem que existem para brilhar
Seu sorriso é um abrac,o aconchegante
Sinto em voce algo tão novo
E sinto tanta franqueza
Nesse seu movimento a me conquistar
Maria de pura alegria
Maria que olha por um
Maria que não sei a idade
Maria dessa cidade
Maria andando sobre a prancha
Maria me olha de relance
Nada é tao raro Maria
Como cada encontro furtivo do nossos olhos
Maria que tem olhos virados pro mar
Maria que tem sorriso para me magnetizar
Maria que não toquei e que não paro de sonhar
Maria eu sei no meu corac,ão
Que no seu coracao, voce sabe que eu vou voltar...

http://www.youtube.com/watch?v=K2dqYhkXHWk

Wednesday, April 2, 2008

Mulheres Cyberetéricas



Como a luz da lua, tuas palavras confusas me seduz
Reflexos e brilhos sobre as ondas do mar
Mergulham minha consciência num azul terno elucidande
Embora nada seja cognitivo neste instante
Me sinto pleno como quem encontrou seu eterno interlocutor
Tenho saudades de fazer loucuras e ter com quem compartilha-las.
Quero me drogar do desejo de te possuir
Quero sentir a areia pinicar a pele quando voa forte sobre as dunas...
Quero perder todas as lembranc,as por um instante
Sentindo o calor da tua presenc,a
Adentrar o sólido
Desta frac,ão de segundo
Que surgiu do virtual
Para ser eterna
Me sinto encantado por Ninfas
Que me conduzem ao profundo de mim mesmo
Sinto todo medo se revelar e se desvanir-se
Consigo não pensar em nada
E simplismente me sentir repleto
Não tenho sede, mas me seca a boca
Tenho os olhos abertos mas estou ausente
Eu sei que já valeu a pena o que nem ainda aconteceu
Eu preciso ir deitar e dormir, para quem sabe entrar em outra dimensão... e te encontrar...

OD




"A chuva vem pequena ou grandiosa acalenta ou revira o nosso lar" "vem acesa para lavar o que passou" http://www.youtube.com/watch?v=IxY2nvAvEYQ


(FOGO DO CORDEL ENCANTADO)

Sunday, March 30, 2008

De volta pra casa...



Um dia atrás do outro...e há horas para arremessar-se ao ar e momentos para só esperar.

É bom estar atento para perceber as surpresas, os presentes...É um dia atrás do outro...e todo dia é dia para agradecer. Gratidão é um sentimento que nos une a toda fortuna do universo...Não é mesmo possível ser alguém inteiro, se não conheces o sentimento de gratidão. Eu agradec,o...Inclusive...Pelos fantasmas da minha voz!:?)




www.youtube.com/watch?v=tyQc8q4jXvA&feature=related

Tive uma boa viagem...


Vi uma Aurora Boreal na entrada


E uma na saída


me sinto extremamente grato


Voltei para casa sem nenhum osso partido.



OD.

E é quase abril...



Saturday, March 22, 2008

Saturday, March 15, 2008

Mergulho


Esses sonhos que multiplica os mundos
estes devaneios que debulha o tempo
estas poucas convicc,ões que lanc,am âncoras ao leito
todas essas perguntas
todos os meus amores
todos os prazeres e todas as dores
a coragem da luz e das cores
a servidão do corac,ão
as asas dos anseios
o estou... o fico... e o parto

Thursday, March 13, 2008

Alameda do teu sorriso






























Meus olhos



Meus pensamentos



Se perderam ao olhar de perto os teus lábios...



Teus olhinhos pequenos estão sempre a sorrir



E este sorriso



É uma alameda onde passeio



Com meu corac,ão dando pulinhos de alegria

Tuesday, March 11, 2008

Contato, fluxo, batalhas!



As batalhas mais diféceis, são as que travamos com nós mesmos!




Assistam esse vídeo: isso é "Contato improvisac,ão"




Friday, March 7, 2008

O amor é prioritário





Sim, eu vou afirmar que é amor o que eu sinto.


Vou dizer que é perene e contundente o que quero te dar.


Você é mais do que posso abarcar, e isso não me intimida...


Por que no amor não temo me desconhecer....



Escultura : O primeiro amor - Gröna Galeri - Karlstad-Sweden novenber/2005


OD.

http://www.youtube.com/watch?v=zkzoDF8DGPE&feature=related